Mostrar mensagens com a etiqueta Graças para recordar. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Graças para recordar. Mostrar todas as mensagens

domingo, 3 de dezembro de 2017

Uma palermice pegada!

Estava a estudar Estudo do Meio com o Gonçalo quando, numa caixa, e a título de curiosidade, explicam o que é braile.

"Sabes o que é braile, Gonçalo?" - perguntei.

Ele fez aquele olhar de quem está a pensar no assunto e respondeu:

"Baile eu ainda sei o que é, mas braile..."

E ainda eu não tinha tido tempo de me desatar a rir, quando ele pergunta:

"É alguma comida?"

terça-feira, 28 de novembro de 2017

Só ele para me fazer rir

Estávamos a jantar peito de frango com arroz, quando o o Gonçalo começou a elogiar a comida (o que, sendo ele um esquisito de primeira, não é propriamente uma coisa habitual de acontecer).

"Está bom, não está? E o pesto dá-lhe um saborzinho muito agradável.", respondi satisfeita, aproveitando o entusiasmo.

"Peste?! Mas isso não é uma doença, mamã?"

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Com 2 anos e já é isto

Ontem estava doente e, por isso, não fui trabalhar. Contudo, e porque não tinha quem o fizesse por mim, fui levá-los à escola.

No caminho, disse ao Francisco: "A mamã hoje não vai trabalhar. Estou doente, com muita tosse."

Mal digo isto ele começa a tossir e diz-me:

"Eu também estou com tosse. Não posso ir à escola."

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

O meu filho não existe

O Gonçalo estava ontem a tomar banho quando, do nada, me pergunta o que eram refugiados.

Fiquei intrigada com a pergunta e questionei-o o porquê de a estar a fazer. Explicou-me que uma professora lhe tinha dito que era o trabalho de casa deles.

Tentei, então, explicar-lhe de uma forma muito simples o que eram refugiados, focando a explicação nos refugiados de guerra, e porque é que existiam. Aproveitei, ainda, para, subtilmente e sem usar os termos, lhe falar em conceitos como tolerância e empatia.

Estava eu neste discurso, há pelo menos 1 minuto, quando ele me interrompe e diz:

"Olha, desculpa lá, mas podes explicar tudo outra vez? É que eu estava aqui distraído com o boneco da Playmobil e não ouvi nada do que disseste!"

sábado, 14 de outubro de 2017

Genial (sem querer)

Estava na cozinha enquanto o Gonçalo e o Francisco brincavam às lutas; um com um sabre e outro com uma espada.

"Eu sou o (não sei quantos... um qualquer da Star Wars que eu não me lembro)", disse o Gonçalo.

" E eu sou o gato Vader.", respondeu o Francisco.

lolol

Começa a ser doentio

Ao pequeno-almoço, do nada, diz-me o Gonçalo:

"Mamã, já sei o que quero para o Natal. Quero o sabre do Luke..."

O Francisco interrompe o irmão e diz logo:

"E eu quéo o Ronaudo."

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Haja paciência - Parte II

Lá em casa dou-lhes sopa a todas as refeições e em quase todas as vezes eles fazem má cara e refilam (até o Francisco!). Comem na mesma, mas sempre de má vontade!

Há dias distraí-me e percebi que só tinha sopa para uma dose e disse-lhe que um deles não ia poder comer sopa. Pensei que iam guerrear para ver quem é que não comia, mas não. Começaram a choramingar porque queriam os dois comer a sopa!

É que são do contra até à última casa!!! Livra!


quinta-feira, 31 de agosto de 2017

É que é tudo dele!

Estas fotos foram tiradas na noite passada, mas garanto-vos que é sempre igual. A cama é gigante, mas ele gosta de dormir assim: ao atravessado e colado a mim (o que é que interessa se tem um espaço de mil metros vazios ao lado?!)

E olhem que aqui não podem ver os pontapés, cabeçadas, as unhinhas de papel dele a espetarem-se nas minhas mãos... ainda a noite passada levei uma cabeçada, estava eu a dormir pedrada, que até vi estrelas (e a sério que acordar com uma cabeçada não é nada fixe!) :/



quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Que delícia!

Quando os meus filhos estiveram uma semana com os avós, eu, naturalmente, ligava-lhes todos os dias. Antes de desligar dizia-lhes sempre que gostava muitos deles e que estava com muitas saudades.

Talvez por isso, acho que o Francisco passou a associar o conceito de saudade a de gostar, como se ambos fossem sinónimos. Para perceberem melhor, e dando apenas um exemplo, porque ele já fez isto várias vezes, esta manhã quando acordou, abraçou-se  mim e disse-me: "Tenho saudades tuas, mamã!" <3 <3 <3

(é uma delícia! ;) )

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Tão bom!

Ontem, antes de começar a fazer o jantar, deitei-me um bocado no sofá ao pé deles, só para estar ali, a usufruir da companhia dos meus meninos. Nisto, o Fracisco agarra-se a mim, dá-me uma festinha no cabelo, agarra-se ao meu pescoço e diz-me com a sua voz de anjo: "Góto de ti mamã!"

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Seria... estranho!

O Gonçalo anda fascinado com o mundo do futebol. Um destes dias fez-me mil perguntas sobre o dia-a-dia dos futebolistas (como se eu soubesse), incluindo se eles viviam com a família ou se tinham de viver longe, se podiam ver a mãe ou não, quando é que treinavam, etc. Uma das dúvidas prendia-se  com o duche.

"Mamã, os jogadores quando acabam um jogo tomam banho?", perguntou.

"Sim, claro. Nos estádios existem balneários, onde eles podem tomar banho.", respondi.

"Ahhh. E é o treinador que lhes dá banho?"

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Porque sonhar nunca fez mal a niguém

O Gonçalo estava indignado porque um amigo lhe disse que o pai Natal não existia. Ele achava que sim, um adulto da escola a quem ele perguntou confirmou que existia, e ele queria tirar as teimas comigo.

Ele tem quase 7 anos e achei que devia dizer-lhe a verdade e, por isso, hesitei.

Vendo a minha hesitação, ele insitiu:

"Então?"

Eu continuei sem saber o que fazer e até fiquei meia gaga, mas resolvi contar a verdade.

"Pois filho... sabes... na verdade, o pai Natal... "

"... o pai Natal existe, não é, mãe?", interrompeu-me.

"Sim filho, existe.", respondi com um suspiro, enquanto pensava: "que se lixe! Que mal tem se ele acreditar mais uns tempos. Se isso o faz feliz!"

Ele rasgou um sorriso alegre e alíviado e disse:

"Eu sabia!!!!"

<3

sábado, 22 de julho de 2017

Já temos espertinho

Estavam os dois a chatear a minha beleza, quando eu desabafo alto:

"Vocês os dois são tão chatos, pá!"

Imediatamente, uma voz docinha de bebé, num português ainda muito atabalhuado, responde-me:

"Dois não! Xó o mano Gonxáu!"

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Digam-me... de que é que me posso queixar?

Estava a ajudar o Gonçalo a despir-se para tomar banho quando, de repente, do nada, ele abraça-me com força, com aqueles bracinho magrinhos que eu amo, e diz-me: "Adoro-te, mamã!"

<3 <3 <3

sexta-feira, 14 de julho de 2017

E a saga continua

Por cá, continuamos a falar muito de namoros. E por "continuamos", entenda-se que o Gonçalo anda a falar muito do tema comigo. Hoje, perguntou-me:

"Mamã, quando os filhos namoram têm que dizer aos pais, não têm?"

"CLARO!", respondi prontamente.

"Pois, mas só se andarem na escola, porque se forem mais crescidos não precisam, não é?"

"Porquê?", perguntei.

"Porque os pais veem... como quando os filhos namoram em casa e os pais estão lá, ou então quando estão a namorar no hotel e os avós estão lá..."

(a sério que não sei onde é que ele vai buscar estas coisas. Hotel? avós? namorar num hotel? namorar num hotel onde estão os avós? Não sei o que é que é mais estranho no meio disto tudo!!)

domingo, 2 de julho de 2017

É uma amor estranho!

"Mamã, com que idade é que me posso casar? Aos 15 já posso?" - pergunta-me o Gonçalo.

Depois de me refazer do choque, respondi-lhe:

"Não, filho. Só aos 18. Mas já estás a pensar nisso, é? Queres casar com quem?"

"Com aquela menina que já te falei. Aquela que gosta de mim por amor e que eu também gosto dela por amor."

"Hummm... E como é que ela se chama."

"Não sei."

terça-feira, 27 de junho de 2017

Estou tramada!

O Gonçalo disse-me hoje que tinha 40 namoradas e já tinha dado beijos na boca a todas.

Sondei, percebi que ele me estava só a testar e fiz o meu papel. Disse-lhe que ainda era muito cedo para isso. Ele respondeu que a "não sei quantas", do terceiro ano, já dá e ele não vê mal nenhum nisso. Disse-lhe que sim, que havia mal e, já em "desespero" e com falta de mais argumentos, disse-lhe que podia ser castigado à séria lá na escola caso o vissem a fazer isso. Não entendeu. Contestou e disse-me que não percebia porquê, uma vez que dar um beijo na boca "não era nenhum crime", palavras dele. Expliquei que há idades para tudo, mas ele voltou a ripostar.

Desisti.

... Medo!

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Estava lá quase!

Estávamos a jantar e o Gonçalo quis fazer um brinde.

Levantei o copo, o mano também e o Gonçalo imitou e disse:

"À toa!!!"

Fiquei baralhada e perguntei o que é que ele tinha dito. Ele repetiu. Eu tinha entendido bem.

"Isso não faz sentido nenhum. Onde é que ouviste isso?" - perguntei-lhe.

"Foi nuns desenhos animados. Eles brindavam e diziam "À TOA!" "

(lololol. Tão fofo!)

domingo, 11 de junho de 2017

Este é mesmo homem!

O Francisco começou a choramingar a meio da noite (como, aliás, é costume. É o sinal para o ir buscar).

Lá fui eu confortá-lo e trouxe-o comigo para a cama. Ele veio, a dormitar.

Estávamos deitados quando ouvi um barulhito. E ele, apesar de estar meio a dormir, começou a rir-se e a dizer: "Pum, pum...!"

(gajos!!!)

sexta-feira, 9 de junho de 2017

É mais uma para entrar na tabela de cores!

Ontem, estava a dar banho ao Gonçalo, quando ele me diz todo entusiasmado, como se me estivesse a a contar o seu feito mais maravilhoso:

"Sabes mãe, hoje na escola (no comportamento) tive um amarelo-quase-verde!"



Arquivo do blogue

Seguidores